Você já ouviu falar em Arduino?

Desde minha época de curso técnico lá em 2012 – é, eu fiz técnico de eletrônica naquela época – até hoje tenho visto uma popularização do tal do “Arduino”, não apenas sendo utilizado por pessoas da área de elétrica e programação mas também por muitos entusiastas, visto que na época do técnico ele nem chegou a se mencionado e eu só o conheci por curiosidade mesmo. Mas o tempo passa e a evolução chega e agora o arduíno é uma das placas mais utilizadas em projetos elétricos. Se você não faz nem ideia do que eu estou falando até aqui esse texto é pra você.

O arduino foi criado por estudantes italianos em 2005, sendo relativamente barato e fácil de usar, além de ser disponibilizado em open source, mas o que ser open source? Open source ou código aberto é um modelo de desenvolvimento que promove um licenciamento livre, em outras palavras a marca arduíno e seus produtos não tem um dono com seus direitos autorais, assim, qualquer pessoa pode usa-lo em seus projetos sem a necessidade de ter autorização ou ter que pagar para isso.

Para utiliza-lo é necessários duas coisas fundamentais, primeiramente a mais obvia a placa arduino em si, essa existente em varias formas e por diferentes preços, tamanhos e algumas funcionalidades. E segundo a IDE do arduíno, duvidas do que é uma IDE? Sem problemas, IDE é uma sigla para Integrated Development Environment ou Ambiente de desenvolvimento integrado, resumidamente, é o ambiente de programação no qual você irá configurar seu arduíno para o seu projeto. A IDE do arduíno usa uma linguagem própria também chamada de Arduino, entretanto essa linguagem é baseada através da linguagem C/C++, se você já programa em alguma delas não encontrará muita dificuldade em programar para ele.

O Arduino proporcionou grandes avanços na automação em geral, devido a sua facilidade em ser utilizado somado a uma fácil interação com componentes eletrônicos e sensores. Imagine um arduíno como uma placa que tem a capacidade de processar informações de entrada, seja por leitura de comandos elétricos dados por um sensor ou um leitor, ou então pelo próprio código que o usuário escrever em sua IDE. Se quiser conhecer mais sobre arduino e botar as mãos na massa, recomendo que faça o curso de Eletrônica e Robótica da We Maker Brazil, onde você vai poder mexer em um no seu passo a passo desde o inicio.

Gostou? Deixe um comentário! #VamosJuntos!

Deixe uma resposta