Curso EAD ou Curso Presencial: qual é melhor?

Muitas pessoas me perguntam sobre qual é a melhor opção para estudar um determinado assunto ou fazer um curso, então decidi escrever esse texto.
 
Eu vou tentar ser o mais honesta e sincera possível nessa resposta, mas antes gostaria de te pedir uma coisa: quando você acabar de ler esse texto, você pode me dizer o que achou? Sério, isso vale muito para mim!
 
Voltando à pergunta… Há não muitos anos os cursos de graduação eram todos integrais. Sim, o dia inteiro de aula! Isso significava que de modo geral quem frequentava a faculdade podia se manter sem trabalhar. Nesse cenário, o ambiente universitário era segregador e excludente: quem precisava trabalhar não podia estudar, simplesmente porque era preciso passar o dia inteiro ou estudando ou trabalhando!
 
Com o passar dos anos, foram inseridos nas faculdades os cursos noturnos. Quando chegaram foram duramente criticados, sob o pretexto de que a qualidade dos cursos cairiam, e que os profissionais formados jamais seriam competentes o suficiente, como aqueles de outrora. As primeiras, segundas, terceiras, quartas turmas foram se formando e, contrariando as expectativas, os profissionais formados foram tão bem-sucedidos quanto os formados pelas tais turmas integrais.
 
Mesmo com a possibilidade hoje de se estudar meio período e poder trabalhar no restante do dia, mais uma vez muitas pessoas são excluídas do ambiente universitário. Vivemos numa sociedade globalizada, em que tempo é dinheiro, estamos sempre às pressas e acelerados… mas mais do que isso, vivemos duplas, triplas, quádruplas jornadas, com trabalho, filhos, escola, casa… fazer um curso mesmo que de meio período hoje já não atende a diversos públicos, especialmente as mulheres mães moradoras das periferias, como aponta o estudo da ONU (para quem quiser ler na íntegra, vou deixar o link aí embaixo!).
 
Então, surgiram os cursos a distância. Com a possibilidade de fazer as disciplinas a qualquer momento, no ritmo de cada pessoa, estamos lidando com algo muito além de apenas “mais uma possibilidade de curso”: estamos falando de universalidade, de inclusão social. E, sim, a qualidade e conteúdo tendem a ser os mesmos entre cursos presenciais e cursos a distância.
 
Tão são iguais que para o Ministério da Educação os certificados e diplomas de cursos presenciais ou a distância têm o mesmo valor. Então, o primeiro ponto que gostaria de explicitar aqui é que a ideia principal dos cursos de ensino a distância, os cursos EADs, é de democratizar o acesso à educação, mantendo a mesma qualidade dos cursos.
 
“Mas, Carol, eu me dou melhor com cursos presenciais”. Ok, agora vamos para o próximo ponto. E respondendo a pergunta: eu também! Fato é que pessoas diferentes têm ritmos diferentes e métodos diferentes de aprendizado. Eu, por exemplo, preciso estar 100% focada no assunto, num espaço totalmente dedicado a ele, para conseguir captar todo o conteúdo. Ou seja: eu me dou bem com cursos presenciais. Agora os cursos a distância requerem uma capacidade de autoaprendizado, de concentração e de dedicação que, infelizmente, não consigo ter. “Carol, eu também sou assim. Então nunca vamos conseguir fazer cursos a distância?”. CALMA!
 
Para nossa sorte, existem diversas maneiras de aprender a aprender, e somado a isso, existem técnicas e mais técnicas que nos permitem aprender a aprender a distância. 😉
Criar um ambiente único para os estudos, ter uma rotina planejada, deixar as lições e tarefas em dia e manter blabla são algumas dessas dicas, mas elas ficarão para um próximo texto.
 
O que estou querendo dizer é que você não precisa se preocupar se o curso terá mais ou menos qualidade se for feito presencialmente ou a distância. Você só precisa escolher qual é o melhor curso para VOCÊ, e avaliar qual tipo de curso se adequa melhor à sua realidade. E se você achar ainda que não tem vocação para uma ou outra opção – que no meu caso é acompanhar cursos a distância – bem, nada que mudança de hábitos não possa resolver! Daí é só uma questão de perseverança e força de vontade.
 
É claro que no texto eu abordei como exemplo os cursos universitários, mas a máxima vale para todos os outros cursos também. Reflita sobre quais são as suas demandas e voilá! Partiu aprender!
 
PS 1: Curtiu o texto? Poxa, deixa eu saber! Comenta aí o que achou ou marque um ou dois amigos para lerem também.
 
PS 2: Precisa ou quer dar dicas para quem está nessa indecisão? Comenta aí! Vamos nos ajudar!
 
Obrigada e até a próxima!
 
Carol.
 
#VamosJuntos!

Deixe uma resposta